A terapia possui um caráter clínico, geralmente realizado por um profissional formado na área de Psicologia, tem como propósito investigar e analisar os conteúdos trazidos pelo paciente, para solucionar o problema. De maneira geral, o terapeuta busca o esclarecimento e o porquê de algo ter acontecido ou o motivo de determinado comportamento. Com isso ele chega a um diagnóstico e faz as intervenções que julgar necessárias. É um processo de longo prazo.

No coaching, prática mais recente, não há uma conotação clínica. O foco está sempre em trabalhar para que o cliente atinja objetivos específicos. O olhar é sobre a solução e não na detecção de um problema. Não há diagnósticos nem aconselhamentos. O coach auxilia o cliente no caminho para a descoberta de um objetivo pessoal e/ou profissional, para isso se vale de algumas ferramentas que ajudam a identificar as limitações e recursos que estão em seu caminho, permitindo ao cliente alcançar melhorias contínuas na direção do seu objetivo. Trata-se de um processo de curto prazo.

Importante ressaltar que ambos promovem momentos de reflexão e são valiosos para o entendimento pessoal e até complementares em alguns casos, mas são duas técnicas muito diferentes.