Os relacionamentos estão mudando. A independência sexual, emocional e financeira das mulheres tem interferido muito nos novos relacionamentos.

Antes, o amor ganhava da individualidade pois não havia o que fazer com ela. Hoje, com inúmeras tecnologias que facilitam os momentos de lazer, a individualidade tornou-se um bem precioso e ninguém quer dividi-la.

Os homens não são mais protetores ou provedores mas sim companheiros de viagem, com os quais se estabelece uma relação de companheirismo. A individualidade de cada um deve respeitada para que essa harmonia aconteça.
Entre um casal, é necessário que a união contenha as mesmas afinidades e mesmos valores e crenças para compartilharem projetos.

Antes de nos unirmos a alguém, temos que resolver os nossos próprios conflitos. Isso é um fator determinante para ter uma relação de boa qualidade. O outro deixa de ser necessário e passa a ser uma escolha.

Pelo aumento das responsabilidades e das dificuldades de compatibilizar atividades de trabalho com os anseios sentimentais e domésticos, as mulheres estão mais ansiosas e deprimidas do que antes. O relacionamento do século 21 será uma coisa mais parecida com a amizade, mais afinidade intelectual do que física.